Gal Costa : Aquarela do Brasil

Letra e música: Ary Barroso
Carlos Coutinho; José Roberto Molina
(canção escrita em 1939)

Brasil, meu Brasil brasileiro
Meu mulato inzoneiro
Vou cantar-te nos meus versos
O Brasil, samba que dá
Bamboleio que faz gingar
O Brasil do meu amor
Terra de Nosso Senhor
Brasil, prá mim, prá mim, prá mim

Abre a cortina do passado
Tira a mãe preta do serrado
Bota o Rei-Congo no congado
Brasil, prá mim
Deixa cantar de novo o trovador
A merencória luz da lua
Toda a canção do meu amor
Quero ver essa dona caminhando
Pelos salões arrastando
O seu vestido rendado
Brasil, prá mim, prá mim, prá mim

Brasil, terra boa e gostosa
Da morena sestrosa
De olhar indiscreto
O Brasil, samba que dá
Bamboleio que faz gingar
O brasil do meu amor
Terra de Nosso Senhor
Brasil, prá mim, prá mim, prá mim

Esse coqueiro que dá côco
Onde amarro a minha rede
Nas noites claras de luar
Brasil, prá mim
Ah ouve essas fontes murmurantes
Aonde eu mato a minha sede
E onde a lua vem brincar
Ah esse Brasil lindo e trigueiro
É o meu Brasil brasileiro
Terra de samba e pandeiro
Brasil, prá mim, prá mim, Brasil
Brasil, prá mim, prá mim, Brasil
Brasil, prá mim, prá mim quarela do Brasil


Nota:

Em Novembro de 1997 esta canção foi votada como a Melhor Canção Brasileira do Século por um jurado de treze peritos feito pela Academia Brasileira de Letras. Esta canção tornou-se popular sob o nome "Brasil", tendo sido gravada inúmeras vezes por vários artistas. Dos seus mais conhecidos intérpretes destaca-se João Gilberto (com uma versão ligeiramente alterada), Cármen Miranda, Gal Costa, etc.